Seguidores

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Roteiro de Exame Psíquico. Crédito aos professores da USP.


Roteiro de Exame Psíquico. Crédito aos professores da USP.



Tenho percebido que grande parte dos alunos apresenta alguma dificuldade na compreensão e operacionalização do Exame Psíquico, a parte mais relevante da consulta psiquiátrica e psicológica. Tenho certeza que não é por má vontade, mas sim por essa prática não ser tão frequente em estágios e, muitas vezes, em residências. Para dar uma auxiliada nessa lacuna, deixo abaixo um Roteiro de Exame Psíquico elaborado pelos Professores Pedro Alvarenga, Arthur Guerra e Hélio Élkis, todos da USP.

Espero que ajude.


Curso de Psiquiatria Clínica (MPS-0409) -2006

Roteiro de Exame Psíquico

Pedro Alvarenga (Médico Preceptor de Graduação)
Prof. Dr. Arthur Guerra (Coordenador do curso 4º ano)
Prof. Dr. Hélio Élkis (Chefe do Departamento de Psiquiatria da FMUSP)

1. Apresentação: aspecto geral e cuidados (ex: higiene, cabelo, barba, vestes, presença de adornos), fáscies (ex: marmórea, melancólica), porte (ex: encurvado, retraído), atitude em relação ao investigador (ex: adequação,colaboração, hostilidade, oposição, desconfiança);

2. Consciência: - Quantitativa ou Nível de consciência: vigil /hipervigil (aumentada), alerta (normal), obnulado, comatoso / flutuação (diminuição); - Qualitativa: estados crepusculares, estados dissociativos, transe.
Fenômenos da Consciência do Eu (continuidade, atividade, oposição, identidade).

3. Orientação: - Alopsíquica: Tempo (ano /mês /dia /hora); Espaço (lugar caminho realizado); - Autopsíquica: nome, idade, sexo, profissão, estado civil (...).

4. Atenção: - Voluntária (concentração / tenacidade): avaliação: digit span, soletrar “MUNDO” em ordem inversa. - Espontânea (reação aos estímulos externos- prosexia). Obs: distrailbilidade: atenção voluntária ↓ e espontânea ↑(ex: mania, delirium).

5. Memória: Alterações quantitativas: Fixação (pesquisar fatos recentes/avaliar aquisição de informações novas; ex: “teste das 3 palavras”) - Evocação (pesquisar fatos antigos/autobiográficos). Alterações Qualitativas: confabulação (preenchimento artfificial de lacunas presentes na Sd. Korsakoff), amnésia dissociativa (presente na histeria), rememorações delirantes (ex: delírios persistentes, esquizofrenia).

6. Afetividade: Componentes do afeto: 1. Tônus (quantidade, carga) 2. modulação (variação), 3. ressonância: aos estímulos + ou – ; Tipos: embotamento afetivo (afeto hipotônico, hipomodulante e pouco ressonante característico da esquizofrenia); labilidade afetiva (passagem súbita de
um estado afetivo para outro); dissociação do afeto (incoerência entre a idéia expressa e o afeto presente presente na histeria -“La belle indifference”); ambivalência (amor / ódio ao objeto vivenciado na esquizofrenia).
- Humor (estado basal do afeto): Tipos: eutímico (normal); depressivo, elado/elevado (ex: hipomania), eufórico (ex: mania / intoxicação exógena), disfórico (instável, depressivo e irritável; ex: personalidade borderline), ansioso, irritável,delirante ou tremático (perplexidade característica
das fases prodrômicas das psicoses);

7. Pensamento/ Discurso: Componentes do Pensamento: 
1. Curso: aceleração, lentificação, bloqueio / roubo do pensamento.
 2. Forma: organizada (lógica), arboriforme (intensionalidade /meta preservada) → “fuga de idéias” / “descarrilhamento” (pensamento mais veloz que articulação das palavras, conexão dos elementos por assonância, perda da meta) → desorganizado /desagregado (falta de conexão entre as idéias, “salada de palavras”);
 3- Conteúdo (tema):desvalia, ruína, niilista, grandiosidade, ersecutoriedade, místico / religioso. Obs: o pensamento é inferido indiretamente pelo discurso.
- Discurso (manifestação explicita da linguagem): logorréia / pressão de discurso (ex: mania), prolixo / barroco (ex: obsessivo, epilepsia), concreto (ex: crianças, retardo mental), perseverante (ex: lesão lobo frontal); lacônico (pouco,conciso), neologismos (esquizofrenia hebefrênica), ecolalia (catatonia, síndrome de tiques), coprolalia (idem).

8. Sensopercepção
: -Iusão: distorção de um percepto real, não necessariamente patológica (ex: ilusão óptica); - Alucinações (verdadeiras): percepção nítida, objetiva e externa na ausência de um percepto real (ex: “Doutor, são vozes de mulher vindas da sala que comentam as minhas
ações”); Obs: alucinações auditivas são as mais comuns; visuais, tácteis e cenestésicas: afastar transtorno orgânico (ex: delirium, epilepsia, tumor); - Pseudoalucinações: localizadas no espaço subjetivo interno (ex: “vozes dentro da cabeça”). – Alucinose: crítica do individuo em relação ao
fenômeno (ex: alucinose alcoólica)

9. Juízo: - Capacidade de criticar / ajuizar / avaliar satisfatoriamente a realidade vivida; Gradações: - ideias sobrevaloradas (ex: fundamentalismo religioso, apaixonamentos) → idéias deliróides (ex: idéias de grandeza em mania) → - delírio: alteração patológica do juízo: pensamento errôneo, fato improvável caracterizado por uma certeza subjetiva, irrefutabilidade pela lógica e impossibilidade de se compartilhado; tipos: ciúme, persecutórios, ruína, grandeza, místico etc... (ex: esquizofrenia e delírios persistentes).

10. Vontade / Conação:
Etapas: 1º: representações volitivas = intenção (vontade / desejo / interesse): Alterações quantitativas: hipobulia (ex: depressão), hiperbulia (ex: mania); Qualitativas: piromania, parafilias
(ex: pedofilia). 
2º: tomada de decisão (envolve juízos, deliberação); ex: alteração: hesitação
enfrentada em estados depressivos e obsessivos;
 3º: pragmatismo: capacidade de praticar ou interromper ações (ex: cessar um vício); capacidade de manter atividades gerais da vida prática
(ex: banhar-se, estudar).

11. Psicomotricidade: lentificação (ex: Parkinson, depressão), inquietude (ex: ansiedade), agitação (ex: mania), movimentos repetitivos e estereotipados (ex: tiques, ecopraxia), fexibilidade cerúlea (ex: catatonia), distonias, acatisia e discinesia tardia (ocasionada pelo uso de neurolépticos).

12. Inteligência: Função psíquica complexa que determina resolução de problemas e adaptação do indivíduo. Avaliar histórico escolar, profissão; considerar nível cultural e regionalismos. Medida quantitativa (QI); cálculo, resolução de equações, capacidade de abstração (ex: compreensão de
ditados populares).

13. Personalidade: função psíquica complexa que determina o ajustamento do individuo e seu padrão de resposta às condições impostas. “Organização dinâmica dos sistemas psicofísicos do individuo que determinam seu ajustamento (único) ao (seu próprio ambiente” (Gordon Allport)
Determinada por 4 componentes: 

1. Temperamento (componente afetivo): predominantemente
herdado (“ele é explosivo como o pai”);
 2. Caráter (componente conativo): predominantemente
adquirido (“ele ficou egoísta depois que saiu do orfanato”);
 3. Componente Intelectivo
(Inteligencia); 
4. Componente somático / biológico (estatura, genética).
Avaliação do padrão “gatilho-resposta”, diversas entrevistas, convocação de familiares.


Referências:
1. Alonso-Fernandez, 1976. Fundamentos de la Psiquiatria Actual;
2. Dalgalarrondo, 2000. Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais;
3. Ey, 1985: Manual de Psiquiatria;
4. Kaplan & Sadock’s, 2003. The Comprehensive Textbook of Psychiatry.
postado em 29/09/2011 17:29 por Luis Anunciação

Nenhum comentário:

Postar um comentário